Mãe que faltou no trabalho para cuidar da filha e teve dias descontados mesmo com atestado será ressarcida pela empresa

  • 15/05/2024
(Foto: Reprodução)
À Justiça, o Restaurante e Lanchonete Savio Ldta. afirmou que o atestado não se refere à saúde da trabalhadora, mas sim à saúde da filha, por isso não pode abonar as faltas dela. Caso aconteceu em Formiga Prefeitura de Formiga/Divulgação Um restaurante em Formiga deverá ressarcir R$ 4.730,72 para uma funcionária que precisou faltar no trabalho por 15 dias para cuidar da filha, mas que teve o atestado recusado e os dias descontados do salário. Segundo o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG), a mulher trabalhava como balconista no Restaurante e Lanchonete Savio Ldta. e precisou se afastar entre 13 a 27 de junho de 2023 para cuidar da filha de seis meses, que tem intolerância a lactose. Ela alegou que apresentou atestado para a empresa, que não aceitou o documento e descontou do salário dela os dias faltados. Por isso, ela decidiu pedir a restituição judicialmente. À Justiça, o restaurante contestou a alegação, ressaltando que sempre abonou as faltas dela no decorrer do contrato de trabalho. O restaurante também afirmou que o atestado não se refere à saúde da trabalhadora, mas sim à saúde da filha, não podendo, por isso, abonar as faltas daquele período. O g1 tenta contato com a defesa do restaurante. Motorista que agrediu colega de trabalho com golpes de facão tem justa causa confirmada pela Justiça Decisão A juíza Carolina Lobato Goes de Araújo Barroso reconheceu que a mulher apresentou atestados médicos em várias ocasiões anteriores, sendo que, em todas as oportunidades, houve o respectivo abono pela empresa. Entretanto, a magistrada ponderou que um bebê de seis meses é a própria extensão da figura da mãe, porque dependente dela totalmente, especialmente nos casos em que se requer cuidado médico e materno específico. “Embora não haja previsão específica na CLT sobre a questão, existe normatividade internacional farta a amparar o pleito, seja pela aplicação da Convenção para a Eliminação da Discriminação contra a Mulher (CEDAW); pela Convenção 103 da OIT, denominada Convenção sobre o Amparo à Maternidade, ou pela aplicação do Protocolo 492 do CNJ para Julgamento com Perspectiva Interseccional de Gênero e Raça”, ressaltou. Ainda no entendimento da juíza, o atestado médico apresentado pela trabalhadora deve ser lido sob a ótica do Julgamento sob a Perspectiva de Gênero e Raça, sobre o qual uma trabalhadora que, necessariamente, teria os dias abonados por motivo de doença própria, igualmente o terá pela necessidade especial da filha de seis meses. “Isso levando em conta o dever de cuidado da mãe e todo o aparato normativo citado, não só de proteção à maternidade, como de formas de eliminação da discriminação contra a mulher, na condição de mãe”, concluiu a juíza. 📲 Siga as redes sociais do g1 Centro-Oeste MG: Instagram, Facebook e Twitter 📲 Receba no WhatsApp as notícias do g1 Centro-Oeste MG VÍDEOS: veja tudo sobre o Centro-Oeste de Minas

FONTE: https://g1.globo.com/mg/centro-oeste/noticia/2024/05/15/mae-que-faltou-15-dias-no-trabalho-com-atestado-para-cuidar-da-filha-e-teve-dias-descontados-sera-ressarcida-pela-empresa.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Top 5

top1
1. Leão

Marília Mendonça

top2
2. Desejo Imortal

Gusttavo Lima

top3
3. Barquinha de Ouro

Trio Parada Dura

top4
4. Erro Gostoso

Simone Mendes

top5
5. Dona de Min

Ana Castela

Anunciantes